Smart City, – cidade inteligente em português –  é uma nova ideia que está sendo levada a sério por vários governos de diversos países ao redor do mundo. Em geral, as Smart Cities visam obter o desenvolvimento urbano por meio da tecnologia e internet das coisas, incluindo-as em diversos fatores que influenciam a vida das pessoas, como mobilidade, logística, as facilities (energia, telecomunicações), segurança, sustentabilidade, etc.

É claro que as Smart Cities não surgem sozinhas, mas então como são criadas? Existem duas formas: a primeira é investir em cidades planejadas e incluir em seu planejamento prévio tecnologias e ações sustentáveis e a segunda é reavaliar os processos das cidades já existentes e identificar as melhorias que podem ser realizadas de acordo com as necessidades dos moradores e do local.

Em São Paulo, por exemplo, cada vez que você estaciona seu carro na rua e paga a Zona Azul pelo celular em vez de ter que procurar um vendedor, a vida na cidade fica mais inteligente, certo? É extremamente importante pensar em reduzir o tráfego de veículos e permitir que pessoas e bens se movam facilmente por vários meios diferentes. 

As informações serão cada vez mais obtidas diretamente de sensores que coletam e compartilham informações úteis. Com esses dados, sistemas urbanos complexos poderão ser gerenciados em tempo real.

Muito legal, né? Separamos alguns exemplos de Smart Cities, que estão caminhando ou já estão totalmente inseridas na tecnologia a favor do desenvolvimento urbano. 

Songdo, na Coreia do Sul

Songdo, na Coreia do Sul, foi classificada pelo jornal britânico “The Guardian” como a primeira cidade inteligente do mundo. Começou a ser construída em 2009, e terminou ano passado em 2018. Já possui habitantes desde 2011.

Sensores subterrâneos detectam as condições do tráfego e reajustam os semáforos sempre que necessário. Os postes da cidade possuem sensores de presença que só são acionados em eficiência máxima dependendo da quantidade de pessoas passando pelo local.

Outro exemplo de inovação é o pneumático, um sistema localizado em todos os apartamentos. Os resíduos jogados ali vão direto para a central de coleta de lixo.

Há, ainda, 25 quilômetros de ciclovias para quem gosta de se transportar através de bicicleta.

Amsterdam, na Holanda

Como já sabemos, o principal meio de transporte de Amsterdam é a bicicleta. A capital da Holanda desenvolve desde 2009 um projeto chamado “Amsterdam Smart City”, que reúne empresas privadas, órgãos públicos, ONGs e os cidadãos.

O objetivo da iniciativa é desenvolver novas tecnologias que diminuam a emissão de gases tóxicos e o gasto excessivo de energia. Além da infraestrutura moderna, o programa tem como objetivo mudar o comportamento dos habitantes da cidade, proporcionando um ambiente sustentável para todos.

A cidade também investe no desenvolvimento de tecnologias móveis, como o “Appening Amsterdam”, um aplicativo que indica locais para se entreter a noite e o “Drive Carefully”, que avisa aos motoristas quando estão dirigindo perto de uma escola para que reduzam a velocidade.

Masdar, nos Emirados Árabes Unidos

Masdar é uma cidade localizada em Abu Dhabi, iniciou sua construção em 2006 com o objetivo de ser uma cidade inteligente que não emita nenhuma quantidade de gás carbônico, além de ser referência na gestão sustentável no Oriente Médio.

Para isso, o governo de Abu Dhabi está fazendo um investimento de mais de US$ 20 bilhões, auxiliando no desenvolvimento de projetos como por exemplo o de energia solar e sistema de trânsito rápido.

Almeja atingir um número significativo na redução do uso de água da cidade. Com o projeto será possível economizar 54% deste recurso natural através da dessalinização do mar, tornando a água potável.

Copenhage, na Dinamarca 

Em 2005, o governo instituiu algumas ações que levaram à população o conceito de Carbono Zero, e desde então as emissões de carbono foram reduzidas em cerca de 21%. 

Além de incentivar o uso de telhados verdes e de carros elétricos, os moradores usam as bicicletas como um dos principais meios de transporte. A cidade disponibiliza diversos pontos para aluguel de bicicletas e tem investido em equipamentos que são acompanhados de GPS e sensores capazes de detectar a qualidade do ar e informar sobre congestionamentos no trânsito.

E aí, gostou de entender um pouquinho mais sobre as Smart Cities?  Fique ligado nos nossos posts no LinkedIn!

  • Share:

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar essas tags e atributos HTML: <a href=""> <abbr> <acronym> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Send a Message